Investigação Paranormal Brasil: Annabelle 2 - A Criação do Mal

sábado, 19 de agosto de 2017

Annabelle 2 - A Criação do Mal


Não recomendado para menores de 14 anos
Anos após a trágica morte de sua filha, um habilidoso artesão de bonecas e sua esposa decidem, por caridade, acolher em sua casa uma freira e dezenas de meninas desalojadas de um orfanato. Atormentado pelas lembranças traumáticas, o casal ainda precisa lidar com um amendrontador demônio do passado: Annabelle, criação do artesão.

A Verdadeira história da boneca Annabelle


Annabelle 2 - A Criação do Mal

Três anos após o lançamento de Annabelle, chega aos cinemas Annabelle 2 - A Criação do Mal. Apesar do número 2 no título, é importante destacar que não se trata de uma continuação, mas de um prelúdio. O longa conta a história de origem da temida boneca, mostrando como ela acabou possuída por uma entidade do mal.

O longa de 2014 tinha seus momentos, mas era muito mais focado em sustos do que na construção de um clima realmente assustador, o que irritou boa parte do público. A boa notícia é que isso foi corrigido para a nova história. E o principal responsável por isso é o diretor David F. Sandberg, que já havia feito um belo trabalho ao assustar todo mundo com Quando as Luzes se Apagam. Em comparação com o realizador anterior, John R. Leonetti (Efeito Borboleta 2), fica evidente a diferença que faz o fato da pessoa estar familiarizada com o gênero.


Neste sentido, os fãs de terror irão gostar de saber que Annabelle 2 se relaciona muito melhor com Invocação do Mal e Invocação do Mal 2 do que com o primeiro Annabelle, seja em termos de construção narrativa, seja pelo simples fato de desenvolver melhor este universo do horror produzido por James Wan. Não só apresenta easter eggs que indicam o mundo do casal Lorraine e Ed Warren, como vai mais longe e traz referência ao futuro The Nun.

Se o primeiro Annabelle era centrado basicamente na boneca, este novo vai mais longe e também insere outras ameaças ao dia a dia dos personagens, o que torna tudo mais ameaçador. A trama gira em torno de um casal que vive numa área rural e que sofre um perda brutal da filha. Anos depois, eles passam a receber garotas órfãs para viver na casa, como uma forma de aliviar o sofrimento. Acontece que a presença das meninas acabam alimentando uma entidade que já vivia ali. Anthony LaPaglia e Miranda Otto formam o casal principal, mas a grande força no elenco está nas meninas, que realmente passam por poucas e boas.

Escrito por Gary Dauberman (do novo It - A Coisa), o roteiro demora um pouco a engrenar, mas quando o faz é muito eficiente. A metade final do filme é uma cena assustadora depois da outra, com momentos de tensão que realmente arrepiam o espectador.



Deve-se destacar também o trabalho de design de produção. São bons os trabalhos de figurino e maquiagem, mas é impossível não se impressionar com o desenvolvimento dos cenários, especialmente a casa em que vive o casal com as garotas. Cada ambiente é muito bem pensado e mesmo antes da ameaça principal surgir, o público já sabe que há algo de estranho no local, principalmente pelo número de crucifixos espalhados pela casa. E aí cabe destacar a originalidade da produção, que não colocou apenas crucifixos nas paredes. Na verdade, são inúmeras as cruzes que se formam de diversas formas, seja no reflexo, seja nos detalhes dos vidros, seja em coisas mais evidentes, como papéis de parede.

Os fãs do gênero de terror e suspense não irão se decepcionar com esta produção assustadora e (por quê não?) divertida. São inúmeros os momentos de risadas nervosas por parte do público. O primeiro Annabelle era um spin-off. Agora, temos claramente o início de um universo estendido sobrenatural. E isso é muito legal.

Adoro Cinema

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...