quinta-feira, 6 de outubro de 2016

Os arquivos secretos de Mussolini sobre OVNI

Por Alfredo Lissoni
National Ufological Center – Itália
lissoni01 Roberto Pinotti, autor italiano e diretor do CUN (National Ufological Center, atualmente a maior organização civil de pesquisa ufológica mundial), e Alfredo Lissoni, escritor e outro pesquisador do CUN, deram a conhecer, durante o evento anual  de San Marino, International UFO Symposium, a sensacional descoberta de alegados “Arquivos X” que datam da década de 30, quando então a Itália era governada pelo regime facista de Benito Mussolini.
Cópias de 18 documentos secretos da era facista (notas escrita à mão e telegramas), bem como um laudo forense de autenticação dos papéis (com um desenho de um OVNI), foram apresentados pelo CUN à mídia italiana no último 2 de abril e recebeu considerável cobertura na Itália, inclusive da rede nacional de TV RAI Uno e dos principais jornais como “Il Resto del Carlino”, “La Nazione” e “La Republica”. Embora estes artigos tenham sido postados em italiano na web, os documentos OVNI de Mussolini foram pobremente notados pelos estudiosos americanos, assim esta é a primeira vez que a história completa é contada em todos os detalhes fora da Itália.
Com suas cartas anônimas e referências a um super secreto “Cabinet RS/33” supostamente na função de coletar, investigar e suprimir dados sobre os OVNIs, esta história tem muitas similaridades à saga do MJ/12, como Lissoni indica em seus artigos no “UFO Notiziario”. Mas há diferenças significativas.
A principal é que os originais italianos recebidos anonimamente pelo correio por Pinotti, começando em 1996, eram originais e não fotocopias ou fotografias mal-feitas, como o material Mj-12 enviado à Shandera, Berliner e Tim Cooper (em 2000 o incógnito “Mister X” enviou mais material endereçado diretamente ao Sr. Lissoni, mas no correio de Pinotti). A diferença entre um original e uma cópia é crucial, já que permite a análise forense do papel, tinta da máquina de escrever, processo de envelhecimento, e assim por diante.
Antonio Garavaglia, um dos melhores peritos forenses italianos, conduziu os testes nos papéis de Mussolini – mas nós estamos nos adiantando na nossa história.
Todo começou no início de 1996, quando Roberto Pinotti recebeu um punhado de notas manuscritas em artigos de papelaria que carregavam o selo do senado do “reino”. (Mussoloni governou a Itália com mãos de ferro, nominalmente em nome do rei). O ano é 1936 e o agente secreto usa simplesmente o primeiro nome “Andrea” (André em italiano) e inclui também um esboço “do dirigível misterioso”. “Foi avistado na manhã (e não na noite) de segunda-feira – escreve – ele era um disco metálico, polido e refletor de luz, com um comprimento de dez ou doze metros. Dois caças de uma base próxima decolaram, mas não puderam alcançá-la mesmo a 130 km/h. Ele não emitia som, que poderia levar a se pensar em um aerostato. Mas ninguém sabe de balões que possam voar mais rapidamente do que o vento. Eu estou certo que foi visto por outros pilotos da aviação … isso [relatório] chegou às mãos de Ciano.

lissoni02

Conde Ciano, enteado de Mussolini, era Ministros de Assuntos Estrangeiros da Itália; mais tarde foi executado  após participar no complô para depor o Duce e render-se aos aliados em 1943. O relatório de Andrea continua: “Então, após decorrer no mínimo uma hora e depois de passar Mestre, era visto como uma espécie de tubo metálico, cinzento ou escuro.” Um desenho feito por um informante confidencial foi redesenhado por Andrea, que explicou que “‘A’ foi descrito como um tipo de torpedo aéreo, com as janelas muito claras … e alternando, luzes brancas e vermelhas. ‘B’ eram dois ‘chapéus, dois chapéus como aqueles usados por padres: abas largas, redondo, com uma abóbada no centro, metálico e seguindo o torpedo sem mudar suas posições aparentes.
O original menciona que “a prefeitura abriu um inquérito, mas você pode imaginar que fará poucos avanços e terá um resultado similar àquele de ’31. O Duce expressou a sua preocupação, porque diz que se fosse referente a algum avião inglês ou francês real, sua política estrangeira teria que recomeçar mais uma vez.
Embora o relatório de Andrea seja somente um de diversos recebidos desde 1996, você pode ver que seu conteúdo é sensacional – descreve um relato clássico de disco voador com alarme e perseguição por  avião e testemunhas múltiplas em 1936! Também divulga que Mussolini e Ciano, os líderes número um e dois da Itália naquele tempo, estavam intimamente ao par da situação. Certamente, outros originais recebidos, sempre anonimamente, pelo CUN e pelo jornal Il Resto del Carlino, mencionam um departamento misterioso conhecido como “Gabinet RS/33”, encarregado de investigar e encobrir o que os originais se chamam “o avião não-convencional” ou os “aeromóveis.”
O Gabinet RS/33 tinha ligações com a polícia secreta fascista, OVRA, e com o “Agenzia Stefani,” a agência de notícia do regime encarregada de da disseminação da propaganda fascista. Um dos mais famosos cientista e de inventor italiano, Guglielmo Marconi, era o diretor do Gabinet, que incluía também diversos outros astrônomos , cientistas e coordenadores aeronáuticos proeminentes.
Quando a guerra começou os segredos do Gabinet foram compartilhados e enviados literalmente à Alemanha Nazista. Como Lissoni indica, os boatos de discos nazitas flagelaram a literatura OVNI por décadas, e um cientista italiano, Giuseppe Belluzzo, é mencionado sempre conjuntamente com os alemães Miethe, Schriever e Habermohl. Muito absurdo foi escrito sobre os supostos discos voadores nazistas – a maioria propaganda neo-nazista escancarada – contudo indubitavelmente há ao menos alguma verdade na matéria. Os nome of de Miethe et al., foram confirmados pelo FBI e por outros documentos Alemães e americanos.
São os “Arquivos-X Facistas” autênticos? A Lissoni (quem fêz a pesquisa principal), a Pinotti e ao CUN, eles assim parecem. Para crédito dos investigadores, entretanto, o caso inteiro foi mantido sob estritamente confidencial até que as análises forenses de Antonio Garavaglia foram completadas. Somente então os originais foram liberados à imprensa italiana e publicados em uma série dos artigos que começam com a edição de março do UFO Notiziario (e agora, em um livro). Garavaglia conduziu uma série de testes químicos do papel e da tinta – lembramos de que ele teve originais e não cópias – e concluiu que pareciam autênticos originais escritos à mão da era fascist. A cor  do papel e o processo do envelhecimento da tinta o levou a que eram artigos genuínos e não uma falsificações modernas.
Lissoni consultou também Andrea Bedetti, um historiador, perito no período fascista da Itália. “Eu não posso excluir a existência real do Gabinet RS/33,” disse Bedetti. Examinou também os originais vis-à-vis “o léxico e o estilo burocrático do período”, assim como os artigos de papelaria (telegramas do “Senado do Reino” e da agência Stefani) e a terminologia aeronáutica utilizada. Bedetti verificou que tudo era consistente com os originais genuínos da era facista. Isto não exclui a possibilidade de uma falsificação habilidosa, mas teria que ser alguém profundamente conhecedor do estilo, do vocabulário e da terminologia fascista. Bedetti indicou também que no período 1933-40 – coincidindo com o alegado Cabinet RS/33 – o poder de Mussolini  estava em seu pico e a Italia era uma das nações líderes do mundo no campo da aviação e da aeronáutica militar.
Finalmente, Lissoni tornou pública uma misteriosa referência de um discurso feito por Mussolini em 23 de fevereiro de 1941, quando o Duce indicou: “É mais provável que os Estados Unidos sejam invadidos pelos desconhecidos mas guerreiros habitantes do planeta Marte, que desceriam do espaço estrelado em fortalezas voadoras inimagináveis, do que pelos soldados do Eixo“. O que o Duce estava tentando dizer? A história dos Arquivos-X  fascistas ainda está progredindo… se no final eles se mostrarem reais, então toda a história da ufologia terá de ser revisada.
Fonte: La Rete
Tradução: Andréia Tschiedel

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...